CIRSURES

Cocal do Sul, Lauro Müller, Morro da Fumaça, Orleans, Siderópolis, Treviso e Urussanga

Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos Urbanos da Região Sul

INSTITUCIONAL

HISTÓRICO

Movidos pela necessidade de se adequarem à gestão adequada dos resíduos sólidos urbanos, seis municípios localizados no sul do estado de Santa Catarina (Cocal do Sul, Lauro Müller, Morro da Fumaça, Orleans, Treviso e Urussanga) instituíram, no ano de 2001, o Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos Urbanos da Região Sul denominado - CIRSURES. Inicialmente o Cirsures foi criado como um consórcio público de direito privado.

O Ministério Público de SC, através do “Programa Lixo Nosso de Cada Dia”, foi o principal motivador para a união dos municípios em consórcio. Essa união representou um salto de qualidade de vida para os integrantes do consórcio.
Na época, o principal problema a ser resolvido era a disposição final dos resíduos gerados pelos municípios das cidades que compunham o Cirsures. Assim, o município de Urussanga, por encontrar-se numa posição geográfica estratégica em relação aos demais e também por possuir áreas degradadas favoráveis à construção do aterro sanitário, foi escolhido para sediar um aterro sanitário para disposição final dos resíduos sólidos urbanos gerados por todos os municípios integrantes do referido consórcio.
Em fevereiro do ano de 2002 foi escrito o Projeto Executivo do aterro sanitário e foi colocado em apreciação do Fundo Nacional do Meio Ambiente – FNMA, para receber os recursos necessários para a construção do mesmo. O projeto foi aprovado em 2003 e logo em seguida foi iniciada a construção do aterro na localidade de Rio Carvão coordenadas geográficas: 28°29"54,08"S e 49°22"10,45"O), município de Urussanga.
 
 
Dentre as principais etapas do projeto destacam-se:
 
· Elaboração de um Plano Integrado e Participativo de Gerenciamento de Resíduos Sólidos;
· Construção de um aterro sanitário e de um galpão de triagem;
· Recuperação dos antigos lixões, e
· Plano de inclusão dos catadores.
 
 
 
 
 
Em decorrência do excelente trabalho realizado, sobretudo com a questão social dos catadores, em 2003 o consórcio recebeu da Caixa Econômica Federal o prêmio “Melhores Práticas em Gestão Local”.
 
O aterro do Cirsures iniciou as operações em março de 2004. Desde então o Cirsures vem apoiando atividades de reciclagem, em conjunto com a Cooperamérica (Cooperativa de catadores do Rio América), além de manter desde 2008 a coleta seletiva no município sede do consórcio, Urussanga.
Em dezembro de 2008 o CIRSURES implantou a Coleta Seletiva em Urussanga.
 
Em 2010 foi realizada uma alteração estatutária no consórcio. A mudança de caráter jurídico do consórcio se deu em função da lei 11.107, a lei dos consórcios. Assim, de 2010 em diante, o Cirsures passou a ser um consórcio público de direito público. Já no ano de 2013, o município de Siderópolis passou a fazer parte do CIRSURES.
 
Em setembro de setembro de 2013 foi implantada a coleta seletiva em Cocal do Sul. Já em maio de 2014, o CIRSURES efetuou a compra de um caminhão com recursos próprios e a coleta seletiva foi implantada no município de Treviso.
 
No mês de março de 2015, o consórcio efetuou a Expansão da Coleta Seletiva Intermunicipal nos municípios de Urussanga, Cocal do Sul e Treviso. Já em maio de 2015, adquiriu um segundo caminhão com recursos próprios, o que possibilitou o consórcio implantar a coleta seletiva em Lauro Müller, Orleans e Siderópolis. Finalmente, em agosto de 2015, foi implantada a coleta seletiva em Morro as Fumaça, desta forma, os sete municípios consorciados passaram a contar com mais este serviço.
 
Atualmente o Cirsures atende uma população de mais de 100 mil e anualmente são dispostos aproximadamente 13.000 mil toneladas de resíduos. Os resíduos gerados pelos municípios integrantes do consórcio são encaminhados primeiramente para triagem, para aproveitamento dos resíduos reciclados pela Cooperativa. Após esta etapa os rejeitos são encaminhados para as células de disposição para a destinação final no aterro sanitário.
 
Os efluentes gerados no processo são encaminhados para a estação de tratamento (composta por lagoas anaeróbias, aeróbias e tratamento físico-químico). Anualmente são tratados aproximadamente 7.200 m³ de chorume, minimizando os impactos ambientais na Micro Bacia do Rio Dos Americanos pertencente a Bacia Hidrográfica do Rio Urussanga. São realizadas quadrimestralmente medidas da qualidade final do efluente que acompanham os relatórios enviados para o órgão ambiental do estado Fundação de Amparo Tecnológico do Meio Ambiente - Fatma.
 
Além do monitoramento do efluente, o Cirsures também controla a qualidade as águas subterrâneas, através dos poços piezométricos e anualmente monitora a qualidade das águas superficiais e efetua a análise toxicológica do efluente. Esses monitoramentos são enviadas à Fatma, através Relatório de Operação do Aterro Sanitário.
Carregando...